Entenda como será o novo saque de R$ 1.045 do FGTS a partir de junho

Entenda como será o novo saque de R$ 1.045 do FGTS a partir de junho
15 abr 2020

BRASÍLIA – Em mais uma iniciativa para mitigar os efeitos sociais e econômicos da pandemia do coronavírus, o governo publicou uma medida provisória (MP), no fim da noite de terça-feira, que libera o saque de R$ 1.045 de recursos do FGTS por trabalhador.

A medida vai injetar na economia cerca de R$ 36,2 bilhões em 2020, de acordo com estimativas do Ministério da Economia.

Na manhã desta quinta-feira,  o presidente da Caixa, Pedro Guimarães, informou que o banco vai fazer o pagamento do novo saque de até R$ 1.045 do FGTS para todos os trabalhadores em junho.

A medida também extinguiu o Fundo PIS/Pasep, mas o abono salarial continuará a ser pago.

Quem vai poder sacar o dinheiro do FGTS?

  • Todos os trabalhadores com saldo nas contas ativas e inativas no fundo;
  • O saque é limitado a R$ 1.045 por trabalhador.

Quem tem mais de uma conta poderá sacar de todas?  

  • Sim, desde que a soma total não ultrapasse R$ 1.045. Quem tiver, por exemplo, R$ 500 numa conta e R$ 1.500 em outra, poderá tirar R$ 500 de uma e R$ 545 de outra. O valor máximo, por trabalhador, será sempre de R$ 1.045.

Como será definido de qual conta será liberado o recurso?

  • A medida provisória que autorizou o saque estabeleceu uma ordem nesse caso: o saque começa pelas contas inativas (que estão sem receber depósito) com menor saldo; depois, as contas ativas também com menor saldo.

Quando vou poder sacar?

  • A partir do dia 15 de junho para todos os trabalhadores.

Como será esse cronograma?

  • Deve obedecer a ordem do mês de nascimento. Quem tiver conta poupança na Caixa  terá o crédito automático nas datas previstas ou poderá sacar o dinheiro nos terminais de autoatendimento e rede de lotéricas;
  • Quem tem contas em outros bancos deverá seguir outro calendário.

E quem não quiser sacar?

  • Se tem conta na Caixa, tem até o dia 30 de agosto para informar a Caixa que não pretende sacar os recursos;
  • Se não tem conta na Caixa não precisa sacar os recursos.

Como isso será feito?

  • A Caixa deverá disponibilizar um aplicativo como fez no saque imediato de R$ 500, autorizado no ano passado.

Quem não sacou os R$ 500 poderá retirar o dinheiro agora?

  • Não. O prazo terminou no dia 31 de março.

Quem não sacou as cotas do PIS vai perder o direito agora que o Fundo do PIS/Pasep será extinto?

  • Não. Os recursos serão transferidos para as contas vinculadas do FGTS no nome dos cotistas, que poderão efetuar o saque a qualquer momento.

Quem fez a opção pelo saque aniversário vai poder retirar os recursos do FGTS?

  • Quem optou pelo saque aniversário não será prejudicado.

Para sacar é preciso apresentar algum documento?

  • Quando liberou os recursos para o saque imediato em 2019, a Caixa pediu a apresentação de qualquer documento pessoal, como carteira de trabalho, identidade, carteira de habilitação, que o identifique. Para quem tem conta poupança na Caixa, o depósito será automático.

Qual será o impacto da medida na economia brasileira?

  • O Ministério da Economia, a medida vai colocar R$ 36,2 bilhões na economia, beneficiando 60,8 milhões de segundo pessoas. Cerca de 30,7 milhões de trabalhadores vão poder sacar todo o saldo que têm no FGTS

As empresas deixarão de pagar o Pis e Pasep dos entes governamentais?

  • Não. Foi extinto o Fundo PIS-PASEP. As contribuições ao PIS e ao PASEP continuarão existindo, sendo destinadas ao Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT)  para pagar o abono salarial e o seguro-desemprego.

Fonte: O Globo

Share

Benhame - Sociedade de Advogados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Accessibility